.


22.12.13

Tralha

Por vezes, quando digo que sou de Vila Real, as pessoas falam-me imediatamente do "Espadeiro".

Durante muitos anos, Vila Real foi um deserto gastronómico. Para além de umas pensões tradicionais e algumas boas tascas, a escassa restauração nunca passava da mediania - e já estou a ser benevolente. Em inícios de 1969, ao lado do "quartel velho" e do Jardim da Carreira, sobre o stand automóvel do senhor Rosas, surgiu o "Espadeiro", sob a mão de Manuel Pipa e dos seus familiares, oriundos da boa "escola" das pensões. Com inteligência, fixou-se numa lista sólida de pratos regionais, a que acresceu o toque cosmopolita do "joelho da porca", trazido do germânico "eisbein". O boca-a-boca dos "connaisseurs" e as penas mediáticas atentas deram a conhecer ao país o "oásis" vilarealense que era o "Espadeiro", casa que estava para Vila Real como "O Cortiço" estava para Viseu, como o "Praça Velha" estava para Castelo Branco, como o "Tarro" estava para Portalegre e outros exemplos similares de província. A casa manteve-se nas mãos da família Pipa por algumas décadas. Mais tarde, caiu em posse galega (não da boa cozinha galega, mas de uns amadores de culinária de que até eu fui incauta vítima) e ainda de um emigrante nos EUA (que, contaram-me, hasteava o "stars and stripes" sobre aquele que, até ao final dos anos 50, foi o lugar da meta do "circuito automóvel"). Depois, um dia, o "Espadeiro" desapareceu.

Ontem, sob um novo conceito, renomado como "Tralha" (eu tinha um outro nome para a casa, mas cheguei tarde...), o espaço do velho "Espadeiro" renasceu, com um toque arquitetónico contemporâneo. A partir de agora, pelas duas amplas salas haverá "tapas" e bom vinho, espera-se que uma música à altura e, desejavelmente, um ambiente acolhedor, descontraído qb, suscetível de proporcionar um espaço de convívio intergeracional. Desejo todo o sucesso  à iniciativa e, quem passar por Vila Real, pode colocar no seu GPS: avenida Almeida Lucena (sem número).

Deixo uma foto que tirei, à saída da inauguração, com um toque de luz que fez com que a imagem do "Tralha" me saísse "à la Hopper" à moda da Bila.    

1 comentário:

  1. Já tinha saudades de leras suas crónicas, Senhor Embaixador.

    Não sabia que o "Espadeiro" já tinha reaberto.
    Fico com a curiosidade de saber qual o nome que lhe daria !...

    Melhores cumprimentos.

    w

    ResponderEliminar